Eu uso Internet tem nova localização

Verão é sinónimo de férias. E este blog não foi exceção. ;) O blog, não eu, que férias só mesmo em Outubro.

Assim, estive no mês de Agosto a tratar da mudança para a “casa nova“. No âmbito de um trabalho académico criei, finalmente, o meu website pessoal e aproveitei e transportei para lá este blog. O nome mantém-se, graças ao WordPress Importer todos os conteúdos que estavam aqui disponiveis estão lá, e ainda há lugar para algumas novidades gráficas que o WordPress.org disponibiliza, como a instalação de plugins, que a versão gratuita de blogs WordPress.com não tem.

Convido-vos a visitar o novo espaço, a actualizarem o blog nos favoritos, a actualizarem o  leitor de rss feed, ou mais fácil ainda, a subscreverem as novidades (está um formulário de subscrição disponível na barra lateral) que vou colocando no blog, que a partir de Setembro retomarão a sua publicação mais frequente.

blog.anagomeshenriques.pt

Até já!

A imagem que passamos na web

Ontem, em conversa com uma colega de trabalho, soube que o namorado dela tinha sido contatado pelo Google para ir trabalhar para eles num novo projeto fora do país. Até aqui nada de novo.
O que achei surpreendente foi o fato das conversas terem sido apenas através de telefone ultrapassando assim algum teste ou conversa mais técnica sobre a experiência dele.

E porquê?

Porque o Google tem acesso ao histórico de utilização do motor de busca e outras ferramentas Google de qualquer pessoa. Sabiam assim os interesses dele, através do que ele pesquisava, e definiram assim o perfil do candidato. Um bom teste para verificarem até que ponto o nosso perfil de utilizador é usado é fazerem uma pesquisa no vosso computador de uso habitual e a mesma pesquisa num computador de um colega/amigo. Os resultados podem não só não serem os mesmos, como podem mudar de posição de computador para computador. A web está a moldar-se ao perfil do utilizador, isso já é uma realidade e é o futuro.

No entanto isto pode ser controverso: afinal até que ponto é que o que pesquisamos num motor de busca pode definir o nosso perfil como profissional?
Como é evidente, todos temos uma vida pessoal com interesses variados que por vezes nem sequer se cruzam com os interesses profissionais. Mas será que isso pode prejudicar a imagem que passamos na web?

É claro que esta foi uma situação muito específica, o empregador neste caso era “só” a empresa que detém a maior pertentagem de utilização de motores de busca o que facilitou o acesso a dados tao específicos como históricos de pesquisas.

Mas numa situação normal, já começa a ser comum um empregador verificar a nossa página de facebook, linkedin, twitter e até mesmo a presença que temos em blogs e forúns para tirarem algumas conclusões em relação ao nosso perfil como candidato. E isso pode ser diferenciador. Para bom ou para mau.

Não acho que a solução para isto seja fingirmos ser aquilo que não somos, mas sem dúvida que há que ser inteligente e moderar alguns conteúdos que pensamos em colocar na web.

É que a web é um pouco como Las Vegas: what happens in web, stays in web. Eu acrescentaria mesmo: “forever”! ;)

Campanhas que dão que falar #3

11 por todos

Numa altura em que se aproxima a passos largos o Euro 2012, não podia deixar de falar da campanha que a Galp Energia está a fazer sobre neste âmbito: 11 por todos e todos por 11.

A carta escrita à seleção, pelo Guilherme um rapaz de 11 anos, deposita esperanças na equipa Portuguesa para que esta possa mudar a opinião sobre Portugal e os portugueses. Mais uma campanha que apostou por puxar pela motivação do povo português numa altura em que bem precisamos de pensar mais positivo!

Amanhã não estarei no jogo (já não consegui arranjar bilhetes) mas vou estar a torcer pela nossa seleção e esperar que este Euro nos traga tantas ou mais alegrias que aquele caloroso Euro 2004 em que senti a verdadeira união e espírito de equipa que este país tem! :)

O poder do passa palavra

Passa palavra

- Imagem retirada da Internet -

O passa palavra é a forma mais poderosa de marketing que existe no mundo. É 10 vezes mais eficaz do que a televisão ou anúncios na imprensa. Trabalhei há alguns anos numa empresa de construção civil em part-time como administrativa e uma das minhas tarefas ao fechar o ano era fazer um relatório que resumisse, entre outras coisas, de onde mais chegavam pedidos de orçamento. Como tínhamos publicidade em diversos meios era uma forma de perceber de onde é que tinham vindo mais clientes ou potenciais clientes. Os resultados foram claros ao longo dos 3 anos em que trabalhei lá: o passa palavra representava mais de 50% dos pedidos de orçamento que chegavam e também representava uma larga fatia dos orçamentos que eram depois adjudicados e em que fazíamos a obra. É inevitável concluir que as pessoas confiam mais na opinião de outras pessoas do que na publicidade que vêem diariamente.

E nem é necessariamente na opinião de pessoas que conhecem fisicamente. Vejam o exemplo dos blogs ou de fóruns. No caso dos blogs, se formos seguidores de um blog  que fala sobre uma temática que nos interesse é normal que, se o autor do blog experimentar um produto/serviço e der o seu testemunho, isso influencie a nossa opinião sobre esse produto/serviço. Não é ao acaso que o lançamento de um novo produto muitas vezes passa primeiro por bloggers influentes naquela temática, dando assim o seu testemunho. Se depois esse testemunho é real ou não, já é outra conversa. ;)

Os fóruns são muitas vezes utilizados para aprender um pouco mais sobre determinado tema e também para tirar dúvidas com pessoas mais experientes. Essas pessoas acabam por ser também influentes ao falarem sobre produtos/serviços daquele tema. Posso dar como exemplo um fórum que participo e sou moderadora, o Cãotinho do Labrador. Partilham-se experiências, dúvidas, fotografias sobre cães da raça labrador retriever. Perguntas comuns como por exemplo, “que ração dão ao vosso cão?”, ou “que escova é mais eficaz na remoção dos pelos mortos?” ou até “que desparasitante é mais eficaz?” são respondidas pelos foristas e obviamente influenciam a compra daquela ou da outra marca. É inevitável, estamos a seguir a sugestão de outro ser humano que tem o mesmo interesse comum que nós (neste caso o cão) e não está influenciado monetariamente (espera-se! :)) por nenhuma marca: ou seja a sua opinião é de confiança!

Outro bom exemplo do que foi o poder do passa palavra foi a campanha do Pingo Doce, já falada aqui no blog. Não foi gasto um único cêntimo em publicidade: simplesmente fez-se chegar a informação às pessoas que rapidamente espalharam a notícia umas às outras e teve o resultado que se viu.

Não invalidando os meios de comunicação tradicionais, e até mesmo os novos meios, a opinião/testemunho de uma pessoa real que tem os mesmos interesses que nós e com a qual nos identificamos tem muito impacto na decisão final da compra de um bem ou serviço.

A concentração na era da distração

… é pouca, diria eu. :) Já aqui falei da dificuldade que tenho diariamente de gerir a quantidade de informação com que sou contemplada todos os dias. Embora já tenha conseguido melhorar um pouco mais isso, filtrando algumas subscrições e sites favoritos, continua a ser um problema a gestão do tempo para lidar com essa informação.

Para mim é difícil estar, por exemplo, a trabalhar num documento e não ir espreitar aquele e-mail que acabou de cair na caixa, ou não ir entretanto ao Facebook ver se há novidades ou mesmo abrir o Google Reader e verificar se há novos posts dos nossos blogs favoritos. Não quer dizer que a tarefa principal não fique feita. Demora é mais tempo a terminar e tempo.. bem, tempo é dinheiro e não podemos desperdiçá-lo. ;)

Este post não traz com o segredo milagroso para este problema (mas se o souberem, partilhem por favor :)), vem sim no seguimento do post de um dos blogs que sigo sobre minimalismo que fala neste mesmo problema e que mostra um mind map que tão bem ilustra este desafio mental diário.

mind map focus in distration era

- Imagem retirada daqui -

Conto explorar melhor este tema, mais tarde, referindo as aplicações/sites que uso que me facilitam a vida para me manter actualizada diariamente.

Até breve.

Campanhas que dão que falar #2

À semelhança de tantas outras pessoas, não podia deixar de me pronunciar sobre a campanha do passado dia 1 de Maio do Pingo Doce.

Antes de mais vou falar com conhecimento de causa, eu estive lá e adianto que:

  • Não fui agredida (nem agredi ninguém :));
  • Não comprei coisas que não precisava;
  • Não estive lá desde as 8h da manhã;
  • Não fui obrigada a estar lá;
  • Não achei que tenha perdido muito tempo, em comparação ao que poupei;

Apesar de tudo o que tenha sido dito, bem ou mal, ninguém pode negar que isto foi uma campanha de marketing brilhante. Um perfeito exemplo de que não é preciso gastar um cêntimo e conseguir uma adesão e um buzz tão estrondoso como este. O poder do passa palavra é inegável, e este foi um exemplo perfeito disso.

Dois dias antes já tinha lido uns rumores na comunicação social de que o Pingo Doce preparava uma “abordagem diferente aos clientes que visitassem a loja no dia 1 de Maio”. A partir daí começou a partilha nas redes sociais, o passa palavra e estava instalado o buzz. A adesão foi em massa, nalguns sítios até perigosamente em massa, mas in the end of the day, o saldo foi positivo. As pessoas, na sua maioria, mostraram uma reacção positiva a esta campanha mesmo aquelas que não a aproveitaram.

Claro que neste tipo de coisas, que gera tanto burburinho, há também a malta do contra. E porque os trabalhores são uns coitados, e porque é feriado, e porque é O feriado do trabalhador, e porque os portugueses são parolos porque vão para as compras em vez de aproveitar o feriado, e porque o Jerónimo teve lucro na mesma e os portugueses é que foram enganados… Enfim, há para todos os gostos. São opiniões, todos têm direito a tê-la e valem o que valem.

Contra estes factos, e deixando claro que não tenho qualquer tipo de sociedade com o grupo Jerónimo Martins :), só tenho a dizer que há muito boa gente a trabalhar fins de semana, feriados e noites para que muitos de nós, os que não trabalhamos com esses horários, possamos gozar aquele que é o nosso merecido descanso. Se vou almoçar fora no feriado, alguém está lá para me atender, se vou viajar, alguém está lá para pilotar o avião, até se for ao parque alguém certamente se encarregará da sua manutenção. E um exemplo tão mais prático: médicos, enfermeiros, bombeiros estão sempre disponíveis e não é propriamente por motivos do nosso lazer. Para eles, este foi só mais um feriado.

Por último só queria testemunhar que quando cheguei, já depois da hora de almoço, os bens em falta eram essencialmente bens de 1ª necessidade: fraldas, leite, papas, cereais, carne etc. Isto para mostrar que o que vi não foi um português ávido pelas promoções e com ganância de comprar tudo, ao contrário da imagem que fazem passar. Vi um português que possivelmente achou uma oportunidade de este mês conseguir ter comida na mesa para a família de dia 1 a dia 30, ao contrário de outros meses.

Para mostrar que o buzz também nos proporciona alguns momentos de humor, deixo-vos com a música que a Rádio Comercial criou sobre este dia que vai ficar na memória dos portugueses durante alguns tempos.

Liberalização de dominios .pt

A partir de amanhã, dia 1 de Maio, é liberalizado o registo a dominios .pt.

Até à data, o registo deste tipo de dominios estava limitado a determinadas regras que obrigava muitas vezes ao registo da marca da empresa/produto/serviço no INPI, do ponto de vista empresarial, para conseguir registar um dominio .pt de acordo com o nome pretendido. A partir de agora essa limitação acabou e qualquer pessoa pode registar um dominio .pt, desde que o mesmo esteja disponível.

Se tiverem dúvidas quanto à empresa onde o fazerem, eu recomendo a Esoterica. Tem preços acessíveis, o apoio ao cliente é muito competente e é uma empresa portuguesa. :)

Até breve.

Campanhas que dão que falar #1

Sou uma curiosa de marketing e publicidade desde sempre. À parte da minha formação académica não ter nada a ver com essa área, gosto de observar, comentar, criticar e perceber as campanhas que surgem diariamente em outdoors, tv, web, rádio etc.

Como tal início com este post, aquela que vai ser a publicação de algumas campanhas que sejam novas, interessantes e que merecem ser divulgadas. Vou comentar do ponto de vista de leitora/consumidora/utilizadora até porque não tenho conhecimento para mais e cada macaco no seu galho. ;)

Nada melhor que começar por falar na nova campanha publicitária da Super Bock. Os senhores da Super Bock não fizeram a coisa por menos e lançaram uma petição para mudar o botão like do facebook.

O mote para esta petição é que “Não faz sentido gostar de tudo e todos da mesma maneira. Na vida, há coisas boas, coisas fantásticas e coisas super!”.

Pois é, esta campanha é também ela super! Já conseguiram mais de 80.000 fãs na página do facebook e que este se tornasse no assunto do momento. Fizeram as coisas de forma universal para que, ainda que seja patrocinada por uma marca portuguesa, a campanha pudesse chegar a todo o mundo por um meio tão utilizado diariamente: o facebook.

Será que já chegou aos ouvidos do Zuckerberg? ;)

Change the like button

Alertas Google

Por motivos profissionais, deparei-me com mais um dos muitos serviços da Google que achei bastante útil e que gostava de vos falar, até porque tenho ideia de que não é muito conhecido. Devidamente utilizado, pode ser uma grande mais valia no âmbito empresarial e até mesmo a nível pessoal. Falo-vos do Google Alerts.

Com o Google Alerts, podem monitorizar a Web por determinados termos de pesquisa.

Alertas Google

- Google Alerts -

Qual a utilidade?

Pode ser usado para os mais variados propósitos:

  • O que está a ser escrito sobre o vosso nome ou e-mail na web – A título pessoal pode ser interessante mantermo-nos a par do que é dito sobre nós na web;
  • O que está a ser escrito sobre o vosso produto/serviço/empresa - A nível empresarial, permite-nos estar atentos a comentários, críticas ou até mesmo dúvidas que surjam sobre o nosso negócio;
  • O que está a ser escrito sobre o vosso concorrente ou até mesmo o vosso público alvo – Uma boa forma de nos mantermos por dentro das novidades da concorrência ou a possível existência de um novo potencial cliente;
Ao configurarem um novo alerta, definem qual o termo a ser monitorizado na web, a frequência de envio e o e-mail onde querem receber os vossos alertas.

Pessoalmente, uso para me manter a par de notícias sobre temas específicos e inclusivamente para estar atenta a novidades no mercado de trabalho.

Por norma, para este tipo de objetivos temos uma presença ativa na web: pesquisamos em motores de busca pelo nosso nome, produto ou concorrente e vemos os resultados. Assim podemos ter também uma postura passiva e receber comodamente no nosso e-mail novidades sobre assuntos do nosso interesse, tal como se de um feed se tratasse.

Até breve.